PROTESTO CERCEADO: AGORA QUEREM QUE PROTESTEMOS NO “SAMBÓDROMO”, LEIAM ESSE ABSURDO

21 09 2012

 

Cada vez é mais difícil de acreditar no que essa cidade (São Paulo) se transformou e está se transformando. De toda forma os caras querem calar o povo!!! Dessa vez o objetivo é impedir manifestações de rua, eles querem que as pessoas vão ao Sambódromo pra protestar!!! Pode??? Sambódromo é pra sambar, assim como o Autódromo é pra correr de carro de corrida ou assistir corrida, é incrível todas as artimanhas de criminalização da luta social que vão sendo criadas por esses verdadeiros nazistas!!! Dá nojo demais!!!!

CarlosCarlos Bola & Arte

Leiam a seguir esse absurdo que saiu no sítio do Brasil de Fato:

Protesto cerceado

Movimentos sociais e sindicais também estão na mira das proibições 

 14/09/2012 

Aline Scarso

da Reportagem

Ao levar em conta o posicionamento do Ministério Público estadual, o uso das ruas de São Paulo para manifestações políticas também pode estar com os dias contados, o que restringirá ainda mais o acesso ao espaço público da cidade. Segundo o promotor de Justiça de Habitação e Urbanismo, Mauricio Antonio Ribeiro Lopes, o mesmo que defende o uso regulamentado do espaço público por trabalhadores, artistas e a população de rua, o município já tem problemas sufi cientes de mobilidade urbana para serem agravados “por essas manifestações”.       

Manifestação no centro de São Paulo – Foto: Aline Scarso

Lopes é responsável por uma ação contra o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade de São Paulo (USP) que impede a entidade de organizar protestos com a ocupação de vias públicas. A ação também estabelece indenização pelas manifestações já realizadas e multa para caso de desobediência. Indenização mais multa custariam aos estudantes R$ 200 mil. A entidade ainda não foi informada oficialmente. Para o DCE, a tentativa do MP de impedir a liberdade de se manifestar em vez de investigar a razão de tais manifestações é, no mínimo, preocupante. “Esperamos sinceramente que a Justiça perceba a improcedência e a irresponsabilidade de uma ação como essa que pode abrir precedentes para medidas cada vez mais perigosas, colocando em risco o pouco que conquistamos de democracia”, argumenta o integrante do DCE, Gustavo Boriolo.    

 “É garantido o direito constitucional de expressão em locais públicos, mas não necessariamente no meio da via pública, que é também um meio para o exercício do direito de outras pessoas, como o direito ao trabalho, à educação, à saúde, ao lazer. Isso é um abuso que implica na destruição de direitos de outros”, rebate o promotor.  

No entanto, não é o que pensa parte dos magistrados do estado. A Apeoesp (sindicato dos professores da rede estadual), por exemplo, já foi condenada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo este ano a pagar uma multa de R$ 600 mil por conta da greve realizada em março e abril de 2010. O processo foi movido pelo governo do estado e outros R$ 1,5 milhão foram fixados por danos morais. A juíza Raquel Machado Carleial de Andrade também proibiu a entidade de realizar qualquer manifestação que ocupe as ruas e atrapalhe o trânsito.     

Para um sindicato que representa aproximadamente 240 mil professores, não ocupar as vias públicas em atos populares pode não ser algo de fácil controle. Além disso, segundo a presidenta Maria Izabel Noronha, a determinação judicial fere um direito constitucional. “Uma passeata é um momento que você mostra para a população que há um descontentamento. Não há nada de desordem, são movimentos organizados cumprindo o seu papel. Essa ação é uma judicialização da política”, argumenta.   

Segundo Lopes, todas as entidades que forem notificadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ou a PM por causa de obstrução de via pública ao Ministério Público serão investigadas. Ele enumera uma série de áreas públicas que poderiam ser usadas para os protestos, como os parques públicos, o Sambódromo e o autódromo de Interlagos, locais que provavelmente não proporcionariam grande visibilidade às manifestações. Para o DCE da USP, os movimentos sociais não devem se deixar intimidar por medidas como esta “que têm unicamente o objetivo de tentar calar vozes dissidentes na sociedade”. “Faremos o que for necessário pra que isso não avance e continuaremos sim tomando ruas, praças e avenidas na luta por nossos direitos. Inclusive com trabalho de conscientização da população”, promete Boriolo. 


Ações

Information

3 responses

21 09 2012
Matheus Cota

Fiquei chocado só com a chamada da matéria… Parece que eles querem dizer que as manifestações são para eles como uma atração em que eles só observam, aplaudem e dão notas aos mais criativos… Vou ler o restante na esperança de que eles tenham dado um motivo MINIMAMENTE plausível.

21 09 2012
Joaquim

Concordo com o Mauricio Antonio Ribeiro Lopes. Se querem fazer essas manifestações que nunca dão em nada, façam, mas que não atrapalhem a mobilidade urbana da cidade, que já tem problemas suficientes.

21 09 2012
bolaearte

Joaquim, são reacionários como você que fazem o Brasil demorar pra sair dessa injustiça social gritante!!! Vai morar nos EUA, lá estão precisando de você!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: