CARLOSCARLOS NO IMPROVISO DAS RUAS: MÚSICA

4 07 2011

Salve!!!

A vídeorreportagem a seguir foi a minha última que foi ao ar no “Seu Jornal”, da TVT.

E  o “Improviso nas ruas” de CarlosCarlos ataca novamente!!! Chego de surpresa interagindo com a população, dessa vez conversamos sobre música, se as pessoas pensam no que estão ouvindo, se se importam com as mensagens contidas nas letras das músicas, se simplesmente seguem a moda, enfim… e de quebra revelamos vários cantores nas ruas da cidade!!!

Acredito que ficou bem divertida e questionadora essa vídeorreportagem que eu lhes disponibilizo agora:

E aí, o que acharam???

 





22 RAZÕES PARA IR A MARCHA DA LIBERDADE, por Xico Sá

31 05 2011

A Marcha da Liberdade já aconteceu, mas não tenho como não postar esse post. Esse tal Xico Sá, escritor nascido no Crato, no Ceará, é mesmo bom demais no que faz. Se eu já o admirava, agora ao ler as suas “22 razões para ir a Marcha da Liberdade”, passo a admirar ainda mais.

O cara tem um jeito muito peculiar de escrever e de ser. Numa dessas noites da vida, pelos botecos sujos da cidade (boteco de verdade, não bar de playboy), eu, CarlosCarlos e o Xico estávamos já em outras dimensões, de pé no balcão conversando com os outros poucos frequentadores da espelunca. Eis que dali a pouco chegou um cara que era morador de rua, ele foi até a gente, começou a interagir e pediu uma pinga pro Xico, que prontamente atendeu o seu pedido, num gesto de puro carinho. Quem conhece o Xico sabe do que que stou falando. Depois o Xico começou a abraça-lo e trocar altas idéias, com um carinho todo especial com o cara, algo raro que não vemos por aí.

Isso me lembrou a simplicidade do lendário Raul dos Santos Seixas, que também não tinha essa de ficar medindo gente pelo traje ou pela carcaça… me identifico muito com isso e também já vivi isso demais pelas ruas e botecos Brasil afora.

Isso tudo é muito relevante pois o comum hoje em dia é fazer o contrário, e não venham me dizer que é por causa da bebida que o cara abraça o outro, porque tem muitos por aí que quando bebem querem é bater nos outros, isso sim. Essas coisas estão dentro de cada um e afloram correspondentemente ao que cada um é e quer ser.

Bom, mas já falei demais, esse Xico é da hora mesmo, leia as suas 22 RAZÕES PARA IR A MARCHA DA LIBERDADE, que mesmo já tendo passado, elas podem ser utilizadas para tantas e tantas outras situações de nossas vidas.

Segue:

S.Paulo é cidade aberta, de todos os povos. Vamos retomar prazer pelas ruas: em passeio ou em ensaio de revolta

Por Xico Sá, em seu blog

Por que 22, perguntaria algum passante que ainda não sabe queda permanente deste blog pelo velho Oswald.

Ora, 22 por lembrar 1922, a Semana de Arte Moderna, tempo em que SP era o contrário da caretice que vive hoje, quase um século depois.

Por lembrar o velho, repito, Oswald de Andrade, cozinheiro de almas, que dizia, entre outras tantas, “viva a rapaziada guerreira, o gênio é uma grande besteira”.

22, dois patinhos na lagoa, por lembrar um tempo em que SP não era careta e dava o grito não do Ipiranga, mas o grito modernista.

22 para lembrar “O Homem do Povo”, o jornal genial de Pagu e seu belo marido.

Enfim, 22 razões para correr lá avenida Paulista, porque hoje é sábado, dia 28, a partir das 14h, no vão do Masp (ai acima no íma de geladeira by Paula Turriani), corra, Lola, corra.

Contagem regressiva, 22, me dê motivos, como cantaria Tim Maia, ei-los:

I)Temos que retomar o prazer pelas ruas, seja em um passeio, seja em um ensaio de revolta. A velha lição do flâneur, do que vaga ou do que atira pedras.

II) Temos que dar uma resposta ao irresponsável desembargador do TJ-SP que proibiu, de véspera, a Marcha da Maconha.

III) Nossos olhos não são moquecas nem acarajés para merecer tanto gás pimenta da abusada PM paulista.

IV) É tão sério um protesto a favor da liberdade de expressão quanto um grito contra o desemprego, como promovem agora os espanhóis na Praça do Sol e arredores.

V) Temos 6% de desemprego contra 40% dos madrileños, ok, economicamente estamos bem, mas apanhamos da polícia do mesmo jeito.

VI) SP é uma cidade aberta, cosmopolita, moderna, de todos os povos, não essa província que o Kassab e a Polícia tentam agora fazer dela.

VII) O protesto pode sim virar uma festa. Quando isso acontece é ainda mais perigoso para o Establishment entediado e careta.

VIII) Só a anarquia festiva salva.

IX) É livre a participação de todos as legendas, mas que levemos de partidos para a avenida apenas os nossos pobres e resistentes corações.

X) Que façamos de protestos do gênero, recriados com o churrascão de Higienópolis, a invenção da praia desta gloriosa cidade.

XI) É numa passeata que você pode encontrar de verdade o amor da sua vida. Aquele amor acima de qualquer suspeita ideológica.

XII) É numa passeata, seja contra o que for, que você tem a noção mais óbvia que a História continua viva, caro Fukuyama.

XIII) Sim, protestamos mas não somos chatos, tiramos la buena onda, preste atenção como agora somos ainda mais anarquistas.

XIV) O blasé datou, é hora de escancarar a bocarra e mostrar que tem peito e uma alma capaz de escândalos.

XV) Tuitar em uma cartolina rosa, com uma Bic improvisada, é a nova prova dos nove, velho Oswald.

XVI) Nada como uma passeata para exercitar o poder do free-style e mandar rimas nos slogans.

XVII) Como a liberdade é um mote muito amplo, aproveite para protestar contra tudo e contra todos.

XVIII) Se der vontade, tire a roupa.

XIX) Se até o governador Alckmin disse que houve abuso policial na marcha anterior, tudo é permitido, inclusive importunar o juízo de Deus.

XX) Sejamos antropofágicos, velho Oswald, levemos alguém para jantar em casa depois da marcha.

XXI) Triste da geração que passa pela vida sem fazer um barulho ou uma confusão bem grande na existência.

XXII) Protestar é sexy, é Eros derrotando a morte de quem aceita o pijama como um precoce paletó de madeira.





CARLOSCARLOS NO IMPROVISO DAS RUAS

31 05 2011

A seguir uma vídeorreportagem (VR) de CarlosCarlos que foi ao ar no “Seu Jornal” da TVT – Tv dos Trabalhadores.

A idéia foi ir pra rua e simplesmente conversar com as pessoas, sem muitas regras, informalmente, e deixar as pessoas se expressarem, sem direcionamento, sem aquela coisa clássica de jornalismo que já sai com uma pauta pronta e tudo estabelecido, prontinho pra ser embalado e colocado na vitrine.

Na real eu costumo tentar fazer isso em todos os trabalhos que eu faço, mas sempre tem algumas coisas que são um pouco mais certinhas, com aquela coisa da informação e blá-blá-blá. Depende muito do estilo de quem faz.

A idéia é fazer do meu jeito e quebrar os paradigmas estabelecidos do já conhecido PWBCCQ – PADRÃO WILLIAN BONNER CARA DE CÚ DE QUALIDADE, que prejudica demais o nosso país.

Fazer uma tv mais humana, menos robótica, com simplicidade, com informalidade, com linguagens e formatos diferentes, com a real voz do povão brasileiro na tela, são alguns dos princípios que eu busco na minha caminhada.

Espero que vcs gostem.

Abraços,

CarlosCarlos

Segue a VR:

 





SARAU DA VILA FUNDÃO – TRIBUTO A BOB MARLEY!!!

25 05 2011

Vale a pena demaisss colar!!!

Bem vindos ao Sarau Vila Fundão!

Encontro de Coletivos de Cultura e Lideranças Comunitárias que buscam uma autonomia através  das Lutas Populares.

26.05 Sarau tributo a Bob Marley, representantes da Cultura Rasta + Banda Veja Luz

31.05 Sarau Vila Fundão na Biblioteca Helena Silveira. Terça às 14h.
Rua João Batista Reimão, 146 Largo do Campo Limpo

Programação pode sofrer alteração

Todas as quintas-feiras, 20h. Rua Glenn, s/n. Travessa da Av. Sabin. Próximo da Estação de Metro Capão Redondo. Capão Redondo, Zona Sul. Entrada franca. (11) 5821-8401/ 6440- 1960 c/ Fernando Santista. sarauvilafundao@gmail.com  www.sarauvilafundao.blogspot.com

 





ESSAS IMAGENS MOSTRAM QUE A DITADURA AINDA RESISTE – MAS QUE PERDE FORÇA A CADA DIA QUE PASSA

11 05 2011

Recebi via twitter esse vídeo que sinceramente, é triste de ver… mas tem o lado interessante da história também, que é ver o artista de rua falando várias verdades para policiais truculentos e que insistem em “verdades” tão mentirosas, mas tão mentirosas, que o maior mal é direcionado a eles mesmos, tenho certeza disso.

Ou a polícia passa pro lado do povão ou vai continuar sempre lambendo o saco da elite, cumprindo ordens e lutando contra as suas próprias origens, fazendo uso da razão mais cega do universo.

Assista ao vídeo:

Escrevendo esse post lembrei automaticamente da música “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré, músico e poeta que foi barbaramente torturado pelos militares na chamada “Ditadura Militar”, que ainda resiste com vários resquícios atuais, seja pelas injustiças e violências das polícias, seja pela tortura mental imposta diariamente pela mídia tradicional, pelo ensino mentiroso, pela publicidade voraz que engole mentes e corações sem a mínima preocupação nem sentimento e tantas outras barbaridades.

Mas isso tudo está pra ser erradicado. Sejamos uma só força em prol das verdadeiras lutas!!!

CarlosCarlos Bola & Arte

Você não pode deixar de assistir a esse vídeo – SALVE GERALDO VANDRÉ!!!!





CANAL FUZZIL NO SARAU DA ADEMAR

15 03 2011

Salve, salve!!!

O Fuzzil é um rapper de atitude que eu conheci faz um bom tempo nos saraus periféricos da cidade. Certa vez, ele veio me dizer que me ouviu dizendo sobre a real e total possibilidade que temos hoje em dia de produzir vídeos com câmeras simples, podendo ser de celular ou fotográfica… e com isso passou a levar mais a sério essa coisa de produção de vídeos, fazendo com o equipamento que ele já tinha em mãos, sem ficar esperando algo de última geração!!!

Foi satisfação total ouvir isso, já que muito do que eu passo nas minhas oficinas é sobre isso, a idéia do “faça vc mesmo com o que tem nas mãos”, a internet está possibilitando milhares de pessoas de produzirem o seu próprio conteúdo e a cada dia que passa mais pessoas percebem isso!!!

Então eu indico totalmente para que vcs assistam e acompanhem o Canal Fuzzil (YouTube), que vem produzindo vários vídeos de qualidade e difundindo a cultura periférica com vigor e talento!!!

A seguir eu disponibilizo um vídeo que o Fuzzil gravou no Sarau da Ademar, localizado na Cidade Ademar e organizado por mulheres da comunidade, vcs verão muita atitude feminina em prol de transformação social a favor das mulheres e seus direitos!!! Apoio plenamente!!!

Salve, salve meu Brasil, aqui é o Canal Fuzzil!!!!!

 





NELSON TRIUNFO: TALENTO NATO DO SERTÃO URBANO DO MUNDO

23 02 2011

Salve!!

Desde os tempos de 1995, quando eu tinha só 15 anos e ouvia o programa de rádio “Projeto Rap Brasil”, com apresentação de Armando Martins, na Metrô FM e depois colava na galeria pra comprar o CD’s das bandas que eu tinha ouvido e curtido, entre elas: Sistema Negro, RPW, PMC Poetas de Rua, Comando DMC, Doctor’s Mc’s etc,etc, um cara que sempre me chamou a atenção se chama NÉLSON TRIUNFO: nordestino nato, guerreiro, batalhador, criativo e original. Um cara que lutou muito pra chegar até aqui, um cara que reforça as nossas certezas do valor que tem o Nordeste brasileiro e suas raízes extraordinárias, assim como o rap nacional também.

Lembro quando o Thaíde lançou junto com ele o som “Rap-embolada”, achei loco demais, dizia assim: “diz aí meu povo, vem do mesmo ovo, o rap e o repente, o pai e o avô”… isso tudo me influenciou muito pra ser o que sou hoje, essa proximidade com as nossas raízes mais puras e que a gente tem orgulho de saber que faz parte.

E sabendo da existência de uns projetos de livro e documentário ligados a pessoa do Nélsão, entrei em contato com o Gilponês, um cara totalmente articulado no movimento hip-hop e que está trampando nesses projetos. Ele me enviou o texto a seguir contando com detalhes como é que tudo isso tá fluindo.

Logo após ao texto, disponibilizo um vídeo extraído do YouTube, com o Nélson Triunfo soltando o verbo e fazendo suas brilhantes performances de dança de rua.

CarlosCarlos Bola & Arte

Segue texto:

“Nelson Triunfo – Do Sertão ao Hip-Hop” é o nome da biografia do pai do hip-hop brasileiro, que estou escrevendo desde junho de 2009. A ideia nasceu de modo inusitado: sonhei que tinha escrito a biografia dele. Quando acordei, pensei: “Por que não?”. Como já tinha amizade com o Nelsão desde 2000, telefonei e fiz a proposta. O livro deve chegar às ruas entre agosto e setembro deste ano, com apoio da Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), como parte de uma coleção intitulada Hip-Hop & História (HHH). Por esta coleção, já tenho outro livro previsto também para este ano, que retratará uma grande personalidade do rap.

“Triunfo” é o nome do documentário sobre Nelson Triunfo, que está sendo filmado desde maio de 2010 pela produtora paulistana Canal Aberto, à qual eu me juntei há pouco mais de um mês para colaborar com pesquisas, entrevistas e parte da produção. O diretor do filme é Hernani Ramos. O documentário contará com depoimentos de diversas personalidades da cultura brasileira, de dentro e fora do hip-hop, como Sérgio Mamberti, João Marcello Bôscoli, Gérson King Combo, Carlos Dafé, Tony Bizarro, Emicida, Thaide, DJ Hum, KL Jay, Xis, Max de Castro, Wilson Simoninha, Os Gemeos e Moisés da Rocha, entre vários outros nomes de peso. O lançamento do filme deverá ser feito em 2012.

Atualmente com 56 anos, Nelson Triunfo nasceu em Triunfo (Pernambuco) e, aos 16 anos, foi morar sozinho em Paulo Afonso (Bahia), para estudar e trabalhar. Já era apaixonado por música e dança, mas foi lá que conheceu a música de James Brown, que mudou para sempre sua vida, e formou sua primeira equipe de dança, chamada Os Invertebrados. Depois de residir três anos na Bahia e mais três no Distrito Federal, mudou-se para São Paulo em 1977, com o sonho de viver da dança. No mesmo ano, já fez amizade com Tony Tornado, gravou uma música com Miguel de Deus no disco “Black Soul Brothers” (pérola do original funk brasileiro) e formou uma equipe com o mesmo nome deste disco, que logo mudou de nome para Funk & Cia. Logo, tornou-se destaque nos principais shows e bailes black do Brasil.

Em 1983, influenciado pelos primeiros passos de breaking que chegavam à mídia, Nelson Triunfo e Funk & Cia levaram a dança para as ruas do centro de São Paulo. Enfrentaram a repressão da polícia, que via naquela manifestação um ato de subversão e desobediência civil – corriam os últimos anos de ditadura militar. Em 1984, o breaking passou a ocupar a estação São Bento do metrô, que se tornou o templo do surgimento do hip-hop em São Paulo – e um dos principais focos da cultura de rua no Brasil.
Ao longo do tempo, Nelson Triunfo tornou-se um ícone da cultura hip-hop, mas sua bagagem cultural é muito mais ampla. Ele mesmo se define como um híbrido de Luiz Gonzaga e James Brown. Atualmente, ele grava seu primeiro disco solo (depois de ter lançado, em 1990, o LP “Se Liga Meu”, com a Funk & Cia), que terá um repertório bastante eclético e com influências que vão do soul e original funk ao hip-hop e reggae, passando por embolada, frevo, maracatu, forró, baião e outros ritmos regionais brasileiros.

Nelson Triunfo também foi um dos pioneiros nos projetos que utilizam o hip-hop como um instrumento de educação e inserção social, através de oficinas, palestras, debates e outras atividades com crianças e adolescentes, trabalho que desenvolve até hoje. Fruto desta iniciativa, Nelson Triunfo foi um dos responsáveis pelo surgimento, em 1999, da Casa do Hip-Hop de Diadema, projeto em que está envolvido até hoje.

Se liga no vídeo:


Mais infos sobre o trampo do Gilponês:

http://biografiadenelsontriunfo.blogspot.com
www.umsocaminho.com.br
www.centralhiphop.com
www.murobr.com
www.nhk.or.jp/brasil/colunas/gilberto/backnumber.html

Vida longa ao hip-hop brasileiro, Nélsão e seus camaradas!!!